6 desafios da indústria para o segmento de impressão de dados

(Por Rafael Teodoro - Superintendente de Novos Negócios Betim Química)

   Confiar sua produção em fornecedores que fabricam ou importam somente um tipo de tinta para codificadores inkjet é colocar a operação em risco.

   A compatibilidade entre a tinta O&M e a tinta fornecida pode ser um indicador de quão forte é a equivalência dos produtos e isso permitirá ao cliente final optar por um fornecedor ou por outro conforme a sua conveniência.

   Todo cliente, ao resolver migrar da tinta O&M para um produto fabricado por terceiros, deveria ponderar quais plataformas tecnológicas o novo fornecedor está preparado para atender. O cliente, usuário final da aplicação, é potencialmente um lançador de novos produtos, novas embalagens, novos materiais, novas cores, etc.

1- A complexa composição de uma tinta inkjet

   Uma tinta é essencialmente um corante ou pigmento, solubilizado em um mix de veículos (solventes) com um ou mais agentes de fixação (resinas). Esse mix de resinas e corantes são os agentes responsáveis pela aderência da tinta ao substrato. É impossível termos uma única tinta que atenda a todos os substratos.

   Existem tintas muito simples, com 1 resina, 1 corante e 1 ou 2 solventes, entretanto existem tintas muito complexas, que tem 3 ou 4 resinas e até 11 solventes diferentes. A formulação está intimamente ligada com a complexidade da aplicação.

2- Qual é a função do make up?

   O que não se pode fazer é cair na falácia de que uma tinta com 11 solventes irá trabalhar com 1 make up com apenas 1 solvente. O make up tem a função de repor todos os solventes evaporados no processo de recirculação da tinta. Não podemos ter uma tinta com 5 solventes e um make up apenas com 1 solvente. Certamente teremos problemas com o passar do tempo.

   Tentemos entender que naquela tinta com 5 solventes 4 deles estarão se evaporando e não sendo repostos, dessa forma teremos uma tinta diferente daquela fabricada e com grandes possiblidades de problemas de funcionamento. O Make Up forma um par perfeito com a tinta. Logo, “Cada tinta com seu Make UP!".

3- Você sabe quais são os controles mais comuns em uma tinta inkjet?

   A viscosidade, densidade, tensão superficial e condutividade são os controles mais comuns em uma tinta. Existem ensaios mais complexos tais como propagação do som e contagem de partículas. O que podemos afirmar com toda a certeza é que tão importante quanto a formulação são as cartas de controle de qualidade lote a lote. Um fornecedor sem laboratório devidamente equipado e que não possua reconhecimento de certificação, inviabiliza a continuidade do trabalho com o passar do tempo.

4- Existe uma tinta inkjet universal para todos os equipamentos?

   Cada fabricante estabelece os parâmetros específicos para o perfeito funcionamento do equipamento. Muitas empresas fornecedoras de tintas, vendem o conceito de que sua tinta funciona para todos os equipamentos. Essa afirmativa é no mínimo uma meia verdade. Vamos imaginar o quadro abaixo:

   As situações que encontramos no dia a dia nos apontam para empresas que vendem a tinta recomendada para o equipamento A para ser utilizado no equipamento B. É fato que em condições favoráveis o resultado realmente será positivo, entretanto em situações extremas, onde a demanda por uma viscosidade mais elevada seja requerida, tal como em um dia muito quente, o equipamento não irá performar de maneira adequada e com isso haverá queda de eficiência global do equipamento.

   Pode acreditar, cada equipamento tem uma gestão específica dos seus insumos com uma mecânica de fluídos muito particular. Seguir com rigor o que foi especificado pelo fabricante do equipamento é fundamental para que tenhamos uma performance igual ao produto O&M.

“Cada tinta no seu equipamento!!!”

5- Conheça os tipos de tintas existentes para a tecnologia CIJ (Continuos Inkjet ou Jato Contínuo de Tinta)

  • Tintas Básicas Pretas – aplicações em substratos convencionais, tais como papéis cartonados e papelão, pet, madeira, etc;
  •  
  • Tintas Plásticas Pretas – aplicações em sistemas flexíveis. Exemplo: Filmes de BOPP que embalam alimentos;
  •  
  • Tintas Alta Temperatura Pretas – aplicações em que a tinta é submetida à elevadas temperaturas. Exemplo: Codificação em embutidos;
  •  
  • Tintas para Vidro Retornáveis /Não Retornáveis – impressão em vidro com demanda de remoção (garrafas retornáveis) impressão definitiva (frascos de conservas) ;
  •  
  • Tintas Básicas Coloridas – impressão em substratos claros. Exemplo: Impressão em sacos de polietileno para ração animal;
  •  
  • Tintas Pigmentadas Orgânicas (Leves) – impressão em substratos escuros. Exemplo: cabos de energia ou peças de borracha;
  •  
  • Tintas Pigmentadas Inorgânicas (Pesadas) – impressão branca em pneus ou pastilhas de freio;
  •  
  • Tintas com Solventes Especiais – base etanol, metanol, água, acetona, acetato. Aqui a decisão é por tipos de ambientes que não podem ter determinado tipo de solvente;


  • Tintas com Aplicações Especiais / Termocromática - mudança de cor a partir de uma determinada temperatura. Exemplo: Latas de conserva de cereais que passam por cozimento e esterilização em autoclave;
  •  
  • Autenticidade – tintas com marcadores especiais que permitem a validação de autenticidade. Exemplo: Selos de cartório;
  •  
  • Tintas Invisíveis – tintas com visibilidade fora do espectro visível. Exemplo: Codificação de ingressos ou dados de promocionais ou lotes pilotos de produtos;
  •  
  • Tintas com Cura UV – tintas sem solvente com cura por raios ultra-violeta. Exemplo: Qualquer substrato em locais de segurança que não permite o uso de solventes inflamáveis;
  •  
  • Tintas Hidrosolúveis – detecção de umidade em fraldas ou remoção em galões de água mineral;
  •  
  • Tintas FDA – codificação por impressão direta em peças de carne, ovos, frutas e similares;
  •  
  • Tintas Biodegradáveis – tintas com resinas, corantes e veículos 100% biodegradáveis.


  • 6- Escolha corretamente o seu fornecedor de tintas. Saiba porquê.

       A questão é ainda mais complexa. Quando pensamos em uma tinta básica, temos 3 ou 4 formulações para cada fabricante de equipamentos. Hoje sabemos que o mais importante é caracterizar e entender o ambiente de produção como um todo. Os processos que antecedem e sucedem a codificação.

       É muito provável que exista um produto já desenvolvido que atenda à demanda. A questão aqui é ter um fornecedor disposto a entender o processo e não simplesmente indicar um produto similar ao que está sendo utilizado.

       Contar com uma empresa com experiência e autoridade no assunto é fundamental. E além disso, pesquisar, desenvolver e comercializar tintas para impressão sempre com foco na eficiência global.

       A Betim Química, empresa 100% nacional com 28 anos de existência e com ampla participação no fornecimento de tintas, insumos e serviços de manutenção com certificação internacional de qualidade, conta ainda com completa infraestrutura e equipe de engenheiros pronta para diagnosticar e indicar as melhores soluções em codificação.

       Temos atualmente várias plataformas tecnológicas para os mais diversos equipamentos de praticamente todos os fabricantes com atuação no Brasil. São mais de 100 tipos de tintas para as mais variadas aplicações. Partimos do princípio de que a tinta precisa se encaixar no processo fabril do cliente e não o cliente se adaptar à tinta oferecida a ele. Essa premissa é o nosso norte e é nisto que acreditamos.

       Nosso contato com a tecnologia de impressão por jato de tinta começou no final dos anos 90. De lá para cá estamos acumulando experiência, absorvendo as tendências dando nosso toque de inovação e adequação a situações especiais. Carregamos em nosso currículo a chancela de ser a primeira empresa brasileira a desenvolver e fabricar tintas e diluentes para impressão industrial por jato de tinta. Essa situação confunde-se com nosso DNA. Passa um filme em minha cabeça quando lembro da primeira amostra de tinta que colocamos em uma codificadora.

    ENTRE EM CONTATO E SAIBA COMO PODEMOS AJUDAR A SUA EMPRESA!

    Saiba como a Betim pode ajudar!


    COMPARTILHAR ARTIGO NAS REDES SOCIAIS



    6 desafios da indústria para o segmento de impressão de dados

    (Por Rafael Teodoro - Superintendente de Novos Negócios Betim Química)

    Superintendente de Novos Negócios, exerce um papel importante no alcance de resultados e objetivos estratégicos da organização. A Betim Química é uma indústria de tecnologia química (fluidos industriais, tintas de codificação-impressão e codificadoras) que há 28 anos atende aos maiores grupos econômicos do país, especialmente nos setores automotivos, papel e celulose, metal mecânico, alimentos, dentre outros.



    REDES SOCIAIS


    Tintas para tecnologia CIJ