Espaço Arte e Cultura

Projeto Artes – Raphaello
Por: 02 de Fevereiro de 2017 em: Espaço Arte e Cultura

Rafael Sanzio foi um importante artista plástico italiano da época do Renascimento Cultural. Nasceu na cidade de Urbino em 1483 e morreu na cidade de Roma em 1520. Rafael, considerado o príncipe dos pintores, elegeu especialmente a pintura e a arquitetura como meios de expressão. Sua arte foi reconhecida graças a suavidade e perfeição de suas obras.

A carreira artística de Raphaello, célebre pintor do Renascimento italiano, transcorreu da adolescência do artista (as primeiras obras são datadas pela historiografia a partir de 1499) a 1520, ano de sua morte, aos 37 anos. Famoso pela perfeição e graça com que executava suas pinturas e desenhos, Raphaello forma, junto com Michelangelo e Leonardo da Vinci, a tradicional tríade dos grandes mestres do Renascimento.

Em 1505, é convidado pelo papa Júlio II para trabalhar a seu serviço,  especialmente na decoração dos aposentos do Vaticano, que se tornariam famosos como as stanze de Raphaello.  Permanece por 12 anos, encarregado de obras de vulto, que provaram o poder de sua rica e diversificada imaginação. Em 1515 ele é oficializado como arquiteto do Vaticano, passando a coordenar a sequência dos trabalhos na Basílica de São Pedro. Nesta mesma ocasião ele passou a comandar as investigações arqueológicas então realizadas em Roma. Com o falecimento de Júlio II, em 1513, ele tornou-se o artista dileto de seu sucessor, Leão X.

Neste período ele assumiu também a decoração das galerias do Vaticano, concluída depois por seus aprendizes, e realizou trabalhos diversos, como retratos, tapeçarias, cenografias e ornamentações sacras, altares, planos arquitetônicos direcionados para edificações não religiosas, e igrejas como a de Sant'Eligio degli Orefici. Era então o pintor mais em voga na Itália.

Foi extremamente influente em sua época, mas, após sua morte, o prestígio de seu rival Michelangelo foi mais amplamente difundido, até os século XVIII e XIX, quando seu preciosismo sereno foi novamente tomado como modelo por algumas gerações de artistas.

Apesar de sua morte precoce, Raphaello foi um artista bastante produtivo. Conserva-se hoje um considerável corpus de obras suas, sobretudo nos museus nacionais italianos, com destaque para a Galleria degli Uffizi e o Palazzo Pitti, nos Museus Vaticanos, no Museu do Louvre e na National Gallery de Londres, entre outros importantes museus europeus. Nos Estados Unidos conservam-se registros de sua obra, na National Gallery of Art de Washington e em alguns importantes museus particulares, como o Metropolitan Museum of Art. No Brasil, o Museu de Arte de São Paulo conserva a única pintura de Rafael situada fora das coleções europeias e norte-americanas.

 

Comentário: “O espaço arte é uma forma de ter mais contato com a arte e cultura. Não conhecia Raphaello, mas conhecia os anjinhos, com a exposição identifiquei quem era o autor da obra. O conhecimento promove identidade, revela a origem.  ” Izabela – Recursos Humanos.